Tipos de câncer

Incidência de perda de peso: os 3 tipos de câncer que mais desnutrem

Os três tipos de câncer que mais desnutrem são:

  • Câncer de pulmão, considerado o mais comum de todos os tumores malignos tendo como principal fator de risco o tabagismo ou repetidas infecções pulmonares; além disso, tuberculose; deficiência e excesso de vitamina A; exposição a poluição do ar e contato com produtos químicos também são considerados fatores relevantes para o surgimento e agravamento1,2.
  • Câncer gastrointestinais como os que acometem o estômago, pâncreas, fígado, cólon e reto tem como fatores de risco a má alimentação; presença de bactérias no estômago como o Helicobacter pylori (H. pylori); tabagismo; anemia; gastrite; alcoolismo e até mesmo hepatite B1,3.
  • Câncer de cabeça e pescoço geralmente começam nas células escamosas que revestem as superfícies das mucosas úmidas, por exemplo, dentro da boca, do nariz e da garganta, fumantes e pessoas que ingerem bebida alcoólica com frequência devem ter cuidado redobrado1,3.

A perda de peso é comum nesses tipos de câncer devido ao alto gasto calórico do tumor ou por conta do tratamento como a quimioterapia, radioterapia e cirurgias, que muitas vezes são necessárias, já que esses três tipos de doenças são descobertos em estágios mais avançados1,2,4.

São diversos os fatores comuns entre esses tipos de câncer que contribuem para a desnutrição do paciente:  a anemia; dor ao engolir os alimentos (disfagia); náuseas e vômitos; diarreia; mal-estar intenso entre outros sintomas1,2.

Dependendo do tratamento, o paciente submetido a cirurgia, quimioterapia e radioterapia pode apresentar dificuldade para se alimentar, fazendo com que seja necessária a introdução de uma suplementação oral proteico-calórica para garantir uma recuperação satisfatória1,2,3. Já em casos que o paciente não consiga engolir e a perda de peso estiver muito acentuada se faz necessário o uso de dieta via sonda nasoenteral ou nasogátrica ou ainda, por via venosa.

Por isso vale ressaltar a importância da prevenção e o diagnóstico precoce para tentar minimizar os efeitos dessas doenças que são consideradas agressivas2.

Referências

  1. INCA, Estimativa/2016. Incidência de Câncer no Brasil; Ministério da Saúde, 2015.
  2. UEHARA C. et al. Cancer de pulmão: comparação entre os sexos. Pneumologia vol.26 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2000.
  3. INCA, Disponível em: . Acesso em 14 de setembro de 2016.
  4. HOSSNE S. R. et al. Estudo retrospectivo de pacientes portadores de câncer colorretal atendidos na faculdade de medicina de Botucatu no período de 2000-2003. Rev bras Coloproct, 2005;25 (1):31-37.

Compartilhe: