Tipos de câncer

Pulmão

Pulmão Há 100 anos o câncer de pulmão era raridade. Tornou-se o mais frequente do planeta por conta do tabagismo. Estima-se que 87% deles sucedam em fumantes ativos ou nos seus parceiros domésticos (fumantes passivos). Deve-se reconhecer, entretanto, outras associações da doença, como poluentes do ar, produtos químicos (amianto) e produtos radioativos.

As queixas muitas vezes simulam bronquite crônica, como tosse, catarro (com ou sem sangue), rouquidão, dores no peito, pneumonia. Ademais, no caso de fumantes, é comum que de fato exista bronquite crônica por muitos anos, precedendo o advento do câncer, o que retarda e confunde o diagnóstico.

O tratamento pode envolver cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou associações, dependendo da modalidade e fase de evolução. A cirurgia algumas vezes é de grande envergadura, envolvendo retirada parcial (lobectomia) ou total de um pulmão (pneumectomia).

A desnutrição é muito prevalente nesta população. A bronquite crônica, quando pré-existente, já debilita acentuadamente o organismo. Tal quadro tende a piorar muito se um tumor maligno se assesta no pulmão.

Todas as variantes de suporte nutricional citadas nos itens anteriores deverão ser consideradas, de acordo com as necessidades e a tolerância do enfermo (dieta oral balanceada, suplementos orais, dieta de sonda, nutrição parenteral).

Vale a pena enfatizar que a falta de ar é comum nesta população e dificulta as refeições. A pessoa se cansa facilmente, o que leva a interrupções frequentes da ingestão. Deve-se dar preferência a alimentos e suplementos orais, ricos em proteínas e de alta densidade calórica (ovos, iogurte, queijo, requeijão cremoso, sorvete, patês de fígado, carne, atum, leite condensado ao natural ou em pudim). Desta forma, com pequenos volumes, se atingirão as necessidades calóricas e proteicas do organismo.


Compartilhe: