Alimentação em câncer

Chá e câncer: como a bebida pode auxiliar no tratamento da doença

04 Apr, 2017

Beber chá é uma tradição antiga que remonta 5.000 anos na China e na Índia. Considerada durante muito tempo nestas culturas como uma ajuda para uma boa saúde, os investigadores agora estão estudando o chá para possível uso na prevenção e tratamento de uma variedade de cânceres.

1. O que são antioxidantes?

O corpo humano produz constantemente moléculas instáveis chamados oxidantes, também comumente referido como radicais livres. Para se tornar estável, oxidantes roubam elétrons de outras moléculas e, no processo, as proteínas de danos celulares e material genético. Este dano pode deixar a célula vulnerável ao câncer. Antioxidantes são substâncias que permitem que o corpo humano “limpe” os oxidantes. Como outros antioxidantes, as catequinas encontradas no chá podem inibir seletivamente as atividades enzimáticas específicas que levam ao câncer.

2. Qual é o nível de antioxidantes encontrados no chá?

Todas as variedades de chá vêm das folhas de uma única planta, a Camellia sinensis. Todas as folhas de chá são colhidas, laminadas, secas e aquecidas. Com o processo adicional de fermentação e oxidação das folhas, temos o chá preto.
Possivelmente, por ser menos processado, o chá verde contém altos níveis de antioxidantes, mais que o chá preto.
Embora o chá possa ser consumido em uma variedade de formas e sua composição química possa variar, um estudo mostrou que macerar o chá verde ou preto por cerca de cinco minutos libera mais de 80% das suas catequinas. Chá gelado, por outro lado, contém quantidades insignificantes de catequinas.

3. Quais são os resultados laboratoriais para o chá e a prevenção do câncer?

Em laboratório, os estudos mostraram que as catequinas do chá atuam como inibidores potentes do crescimento do câncer de várias formas: eles limpam oxidantes antes de ocorrer lesões celulares, reduzem a incidência e o tamanho dos tumores induzidos quimicamente, e inibem o crescimento de células tumorais. Em estudos de câncer do fígado, pele e estômago, tumores induzidos quimicamente tiveram seu tamanho diminuídos em ratos que foram alimentados com chá verde e preto.

4. Quais são os resultados de estudos em seres humanos?

Embora o chá tem sido identificado como um antioxidante no laboratório, os resultados dos estudos que envolvem os seres humanos têm sido variados. Alguns estudos epidemiológicos que comparam consumidores de chá com não consumidores apoiam que beber chá previne o câncer, mas outros estudiosos não apoiam esta tese. Diferenças na dieta, ambientais e da população podem ser responsáveis por essas inconsistências.

Dois estudos na China, onde o chá verde é um dos pilares da dieta, obteve resultados promissores. Um estudo envolvendo mais de 18.000 homens mostrou que os grandes consumidores de chá apresentaram cerca de metade da probabilidade de desenvolver câncer de estômago ou do esôfago, contra os homens que bebiam pouco chá, mesmo após ajuste para tabagismo, saúde e outros fatores dietéticos. Um segundo estudo, no Hospital Beijing Dental encontrou que consumir 3 gramas de chá por dia, ou cerca de 2 xícaras, juntamente com a aplicação de um extrato de chá reduziu o tamanho e proliferação da leucoplasia, uma placa pré-cancerosa oral.

No entanto, um estudo realizado nos Países Baixos não apoia esses achados. O estudo investigou a relação entre o consumo de chá preto e o consequente risco de câncer de estômago, colorretal, pulmão e de mama, entre 58.279 homens e 62.573 mulheres com idades entre 55 a 69. O estudo levou em conta fatores como o tabagismo e dieta. Ele não encontrou nenhuma ligação entre o consumo de chá e proteção contra o câncer.

5. O NCI (National Cancer Institute) apoia a avaliação de chá?

O Instituto Nacional do Câncer (NCI) dos Estados Unidos possui pesquisadores que também estão investigando o uso terapêutico do chá verde. Um estudo recém-concluído e inédito acompanhou o efeito antitumoral do chá verde entre pacientes com câncer de próstata. Os 42 pacientes beberam 6 gramas de chá verde, ou cerca de 4 xícaras diárias, por quatro meses. No entanto, apenas um paciente apresentou melhora de curta duração, e quase 70% do grupo experimentaram efeitos colaterais desagradáveis, como náuseas e diarreia. O estudo concluiu que beber chá verde tem o benefício antitumoral limitado para pacientes com câncer de próstata.

Outros estudos em andamento da NCI estão testando o chá verde como um agente preventivo contra o câncer de pele. Um está investigando os efeitos protetores de uma forma de pílula de chá verde contra o sol induzida por danos à pele, enquanto outro explora a aplicação tópica de chá verde em alterações cutâneas pré-cancerosas.

Em resumo, mais estudos são necessários para total comprovação científica do uso de chá verde e auxílio na cura ou prevenção do câncer.


Compartilhe: